Idosos

Políticas de Desenvolvimento de Colecções

1. Prefácio

As bibliotecas são instituições que se dedicam à colecção, arrumação, organização, utilização e promoção do conhecimento e da cultura do Homem, e a sua principal função é disponibilizar aos leitores o acesso a todo o tipo de informações.

A Biblioteca Pública de Macau (BPM) deverá promover e preservar a documentação de Macau, assumir responsabilidades no sentido de difundir o conhecimento e prestar serviços à sociedade. O factor que determina o cumprimento dessas mesmas funções e deveres por parte da biblioteca é o nível de qualidade das suas colecções de livros.

A formulação de uma política de desenvolvimento de colecções é uma tarefa contínua e obriga a revisões atempadas das condições dessa mesma política, de modo a garantir a consistência dos serviços bibliotecários e das suas colecções e permitir o acompanhamento da evolução de todos os seus constituintes.

 

1.1 Objectivo

Objectivos da formulação de uma política de desenvolvimento de colecções:
- Servir de base orientadora para as funções, tarefas, áreas e alvos abrangidos pelos serviços de cada biblioteca, definindo directrizes para o desenvolvimento de colecções e determinando as características das colecções de cada biblioteca;
- Servir de base para o desenvolvimento e para a gestão de colecções, envolvendo as bibliotecas em planos sistemáticos de selecção de livros;
- Servir de instrumento de avaliação, reprovação e preservação de colecções;
- Garantir uma boa gestão do orçamento;
- Servir de base para a cooperação entre bibliotecas e para a partilha de recursos;
- Servir de ponte de comunicação entre as bibliotecas públicas e os leitores no tratamento de questões relacionadas com as colecções.

 

1.2 Destinatários do serviço

A presente política de desenvolvimento de colecções tem como principal alvo os cidadãos de Macau. Os dados divulgados pela Direcção dos Serviços de Estatística e Censos, no «Relatório de Estatísticas do Intercensos 2016», revelam que até Agosto de 2016 a população de Macau era de 650.834 habitantes.

 

2. Princípios para o desenvolvimento de colecções das bibliotecas

 

2.1 Planeamento das colecções das bibliotecas

O planeamento de colecções das bibliotecas é determinado com base nas funções e na gestão das dimensões e características de cada biblioteca, propostas pelo Departamento de Gestão de Bibliotecas Públicas de Macau.

Em Agosto de 2017, o número total de colecções das bibliotecas públicas de Macau correspondia a 903.800 volumes/unidades (incluindo livros, recursos audiovisuais, etc.).

De modo a manter o equilíbrio entre as diferentes áreas de estudos abrangidas pelas colecções, é fundamental o respeito pelo princípio do armazenamento de livros e de materiais de referência das principais áreas de estudos. Os recursos literários de carácter de investigação, referência, conhecimento e de carácter popular são configurados de acordo com os princípios dispostos pelo Departamento de Gestão de Bibliotecas Públicas para a gestão de dimensões e características de bibliotecas.

O planeamento de colecções deve passar pela definição de indicadores e de atributos para o desenvolvimento de colecções. De modo a atribuir referências e condições para a especificidade do trabalho de selecção de colecções, os indicadores e os atributos referidos incluem: a dimensão, as especialidades abrangidas, o grau de profundidade das áreas de estudos abrangidas, a proporção das áreas de estudos abrangidas, a extensão da variedade linguística, a proporção de variedades linguísticas e a proporção de livros infantis das colecções de biblioteca.

2.1.1 Dimensão das colecções

Com base nas directrizes do Manifesto da UNESCO para o desenvolvimento das bibliotecas públicas, foi definido um objectivo de crescimento médio anual de 5% para as colecções de bibliotecas, o qual será ajustado dependendo do financiamento anual, das necessidades actuais, de mudanças demográficas e da evolução da comunidade. O espaço disponível para as bibliotecas é o principal factor que determina o nível da dimensão de colecção de cada biblioteca, sendo assim necessário ajustar adequadamente o seu armazenamento de livros .

2.1.2 Colecções especiais

Devido a restrições de espaço, a maioria das bibliotecas não é capaz de armazenar livros de todas as áreas de estudos, e também pela disposição das instalações, o estilo de vida das comunidades, os hábitos de leitura dos cidadãos, a história e a geografia locais, algumas das bibliotecas dispõem de colecções especiais, colocando em evidência as funções das bibliotecas das áreas comunitárias. Como resultado, as bibliotecas são complementares umas das outras.

2.1.3 Graus de profundidade das áreas de estudo abrangidas pelas colecções

Com base na dimensão e no tema da colecção em questão e no seu grau de profundidade, é possível classificar o nível de profundidade das áreas de estudos abrangidas pelas colecções de biblioteca.

2.1.4 Proporção das áreas de estudos abrangidas pelas colecções das bibliotecas

As áreas de estudos abrangidas pelas colecções são influenciadas pelas presentes condições e pelas tendências das publicações. Tendo como alvo os cidadãos de Macau, as bibliotecas públicas devem esforçar-se por armazenar o maior número possível de recursos de cada área de estudos. Uma vez que as colecções da área das Línguas e Literaturas são as mais requisitadas pelos leitores e a principal fonte de publicações, existe um maior número deste tipo de colecções nas bibliotecas.

2.1.5 Extensão das variedades linguísticas das colecções

Para aproveitar da melhor forma possível o espaço reservado para as colecções e controlar a sua dimensão, podem definir-se padrões para os seus níveis de extensão linguística através da combinação das presentes condições, ao mesmo tempo permitindo a classificação dos níveis de extensão linguística para cada biblioteca.

2.1.6 Proporção da variedade linguística das colecções das bibliotecas

Devido à falta de espaço, as bibliotecas com dimensões mais pequenas não têm forma de armazenar colecções de livros em português e inglês. No entanto não excluem a hipótese de armazenar pequenas quantidades das mesmas em casos de necessidade especial.

2.1.7 Proporção de livros infantis

Excluindo as bibliotecas do Edifício do IACM e de Wong Ieng Kuan no Jardim da Areia Preta, todas as outras bibliotecas devem reservar um espaço para o armazenamento de livros infantis. O número de livros infantis varia consoante a área em que se encontra localizada a biblioteca, o espaço disponível e as suas características.

 

3. Escolha das colecções

O cumprimento das funções da Biblioteca Central de Macau e do Departamento de Gestão de Bibliotecas Públicas é considerado como princípios básicos da escolha das colecções das bibliotecas.

Os princípios referentes à selecção de livros deverão estar em conformidade com as funções das próprias bibliotecas, respeitar a Convenção Internacional sobre Direitos Autorais, harmonizar as necessidades dos leitores com o valor qualitativo dos livros das bibliotecas, integrando estes pontos de acordo com o disposto no Manifesto da UNESCO sobre Bibliotecas Públicas. Os princípios de selecção de colecções das bibliotecas são os seguintes:
- O objectivo fundamental das bibliotecas públicas é o de atender às necessidades educativas, de informação e de desenvolvimento dos indivíduos e organizações incluindo também as actividades de ocupação de tempos livres e lazer, através da alocação de vários tipos de recursos e da prestação de serviços diferenciados;
- Para alcançar os seus propósitos educativos, de divulgação de conhecimento, de informação, ocupação de tempos livres e lazer, a Biblioteca tem o dever de fornecer materiais e recursos bibliotecários que suscitem diferentes níveis de apreciação, independentemente do nível daquilo que se poderá considerar como bom gosto, no que diz respeito aos referidos materiais e recursos;
- Devem prestar apoio à educação formal e ao auto-estudo dos frequentadores em todos os níveis;
- As bibliotecas públicas são centros de informação, que armazenam vastas quantidades de conhecimento e de informação para usufruto dos seus leitores;
- Estimular o hábito de leitura nos leitores mais jovens, no sentido da criação de uma sociedade com melhores hábitos de leitura;
- As colecções da Biblioteca e os serviços não poderão estar subordinados a qualquer forma imprópria de escrutínio, tanto a nível de consciência, como político ou religioso;
- Devem ser respeitadas as convenções internacionais de direitos autorais, evitando livros e materiais bibliotecários que infrinjam a propriedade intelectual.
- Deve considerar o conteúdo do livro no âmbito de conhecimento, académico, novidade, oportuno e interessante;
- Deve considerar a autoridade e a credibilidade do autor e da editora;
- Deverá ser tida em conta a razoabilidade do preço dos materiais bibliotecários adquiridos.

3.1 Livros em chinês

As obras literárias em língua chinesa constituem o corpo principal das colecções da Biblioteca e incluem obras literárias na escrita chinesa tradicional provenientes das regiões de Hong Kong, Macau e Taiwan, obras literárias na escrita chinesa simplificada publicadas no Interior da China e obras literárias em língua chinesa publicadas no estrangeiro, bem como obras em língua chinesa produzidas por chineses na diáspora, etc.

Os fundamentais princípios de prioridade em termos de alocação de recursos para as colecções das Bibliotecas são:
- As colecções especiais são atribuídas de forma preferencial às Bibliotecas designadas para o armazenamento de colecções da respectiva categoria especial;
- No caso de as colecções (incluindo as de categoria geral e as de categoria especial) serem atribuídas a mais do que uma Biblioteca, a ordem de atribuição será realizada de acordo com a prioridade em termos de zonas segundo a seguinte ordenação: Zona Central, Ilhas, Zona Sul, Zona Oeste e Zona Norte.

 

3.2 Livros em língua estrangeira

Os livros em língua estrangeira armazenados nas bibliotecas públicas são maioritariamente livros em língua inglesa e portuguesa. Os livros estrangeiros deverão ocupar uma quota entre os 5% e os 20% do total da colecção da Biblioteca, devendo por esta razão ser elevado como princípio de selecção a escolha cuidadosa das melhores obras, armazenando as obras clássicas das várias áreas, autores consagrados, obras premiadas tanto a nível internacional como regional, as obras populares e mais vendidas entre os leitores locais. O princípio básico de ordenação em termos de grau de profundidade das áreas de estudo abrangidas e de alocação de recursos para as colecções da Biblioteca é equiparável ao dos livros chineses.

 

3.3 Livros infantis

A nível temático as obras para crianças tendem a ser dos seguintes tipos: contos infantis, ficção, livros de poesia e livros em prosa. No que diz respeito a materiais de leitura infantil do séc. XXI, estes serão predominantemente de ficção científica, de raciocínio lógico, de aventuras e recreativos, com atenção ao facto de, a forma de reprodução e distribuição destes materiais estar cada vez mais ligada a formas multimédia, diversificadas e em rede.

Os princípios de armazenamento de livros infantis são os seguintes:
- Tomando por base as tendências de publicação e necessidades dos leitores mais jovens, será dado um especial relevo à aquisição e armazenamento de livros ilustrados e de banda desenhada;
- Em termos de âmbito temático, a aquisição e armazenamento de livros infantis deverá abranger várias áreas temáticas, desde as obras clássicas de cada área a obras premiadas a nível nacional e regional, devendo ser considerada a sua adequação aos leitores mais jovens, e ainda o seu interesse geral, interesse intelectual e de aquisição de conhecimentos, no sentido de uma maior conformação com as necessidades a nível de desenvolvimento da população mais jovem do território e das necessidades funcionais dos serviços de cada biblioteca;
- Devido às características multiculturais e multilingues de Macau, e para além das obras infantis em língua chinesa, deverá procurar realizar-se um alargamento gradual na disponibilização de obras infantis em língua estrangeira;
- As publicações infantis em formato electrónico ocupam uma quota de 20%, as publicações infantis em formato impresso ocupam uma quota de 80%, o que representa um desenvolvimento gradual multipolar e multimédia da estrutura da colecção.

 

3.4 Obras de referência

A Biblioteca Central de Macau, a Biblioteca Sir Robert Ho Tung, a Biblioteca da Taipa e a Biblioteca de Seac Pai Van (em fase de projecto) pertencem à categoria de bibliotecas que contêm colecções de dimensão considerável, para além do armazenamento de enciclopédias de carácter geral, dicionários e dicionários de caracteres das línguas mais comummente usadas, deverão ser armazenados os seguintes tipos de obras de referência:
- As obras básicas e as mais importantes obras de referência das várias áreas;
- Dicionários e dicionários de caracteres dos vários idiomas, com prioridade para os seguintes idiomas: chinês, português, inglês, japonês, francês, espanhol, italiano, coreano e alemão;
- Obras de referência sobre ciência bibliotecária e ciências da informação;
- Obras de referência sobre os principais organismos e instituições internacionais;
- Mapas e materiais turísticos.

 

3.5 Jornais e revistas

No sentido de uma maior conformidade com o desenvolvimento multicultural de Macau, os jornais e revistas deverão incluir publicações no idioma chinês, inglês, português e japonês. Os jornais e revistas publicados localmente, independentemente do idioma e formato de média, devem ser incluídos integralmente na colecção no sentido de fornecer serviços abrangentes de leitura.

Os seguintes princípios constituem a base para a escolha de publicações não locais: a importância relativa do local, origem da publicação, o equilíbrio dos pontos de vista expressos, a credibilidade da editora, a conformidade do conteúdo da publicação com o âmbito da colecção, as suas características distintivas e a consideração do seu valor de referência.

3.5.1 Jornais e revistas em chinês

Deverão ser armazenados os principais jornais e revistas publicadas no Interior da China, Hong Kong, Macau e Taiwan.

3.5.2 Revistas e jornais em língua estrangeira

A colecção deverá incluir os principais jornais e revistas publicados em Hong Kong, Macau, Europa e Estados Unidos. Deverá ser dada prioridade às publicações periódicas europeias e norte-americanas de carácter abrangente, de ciências humanas e sociais, de ocupação de tempos livres e lazer e das artes.

 

3.6 Materiais audiovisuais

A colecção deverá incluir materiais audiovisuais que possuam natureza intelectual, educativa, cultural, artística, recreativa e que estejam dotados em simultâneo com as características de novidade e de popularidade.

O tipo de materiais audiovisuais deverá incluir: música, filmes, animação e temas educativos, entre outros, sendo que, estes serão disponibilizados em diversos idiomas.

O objectivo é escolher filmes premiados, finalistas, ou alvo de recomendação crítica pela sua qualidade, documentários e outros materiais audiovisuais reputados como valiosos, pertencentes ao Grupo D da classificação etária de espectáculos. A prioridade é ficarem disponíveis na Biblioteca do Patane e na Biblioteca Sir Robert Ho Tung.

 

3.7 Materiais para portadores de deficiência visual

A aquisição de todo o tipo de materiais para portadores de deficiência visual incluindo: livros em braille, livros para leitores com diplopia, livros com caracteres ampliados, audiolivros e livros em formato braille digital, entre outros.

Será dada prioridade à aquisição de materiais para portadores de deficiência visual que abordem a temática da saúde, línguas e literatura, vida e lazer, natureza, história e geografia.

Procurar proceder à aquisição de materiais de leitura conformes aos materiais de apoio e adequados aos leitores portadores de deficiência visual.

 

3.8 Recursos electrónicos

A utilização de recursos electrónicos representa uma importante missão dos serviços da Biblioteca, possuindo estes a característica de não estarem limitados a constrangimentos de tempo e espaço, de serem de fácil utilização e de permitirem a poupança em termos de espaço de armazenamento. A promoção da utilização de recursos electrónicos é um aspecto essencial em termos de desenvolvimento das colecções da Biblioteca.

- Formato dos recursos electrónicos a serem incluídos nas colecções: bases de dados Internet, bases de dados Intranet, livros em formato electrónico, jornais e revistas em formato electrónico, cursos de aprendizagem online;
- Será dada prioridade de inclusão nas colecções às disciplinas com um maior grau de actualidade, no sentido da complementaridade do processo de aquisição de recursos para suprir com quaisquer carências periódicas, em especial nas áreas do turismo, ciências da informação e ciências naturais;
- A inclusão de textos integrais das publicações periódicas nas bases de dados constitui um dos pontos essenciais em termos de desenvolvimento das colecções. A inclusão de recursos electrónicos será feita segundo a seguinte ordem de prioridade linguística: chinês (tradicional e simplificado), português e inglês;

 

3.9 Informações em microfilme

O recurso ao microfilme visa a preservação permanente e a consulta por parte dos leitores da Biblioteca de documentação importante e valiosa. O principal propósito da conservação em microfilme é o armazenamento de livros raros chineses e em línguas estrangeiras, documentação local, edições antigas de publicações periódicas em língua estrangeira, edições antigas do boletim oficial das colónias portuguesas, entre outros.

 

3.10 Colecções especiais

Atendendo ao facto de a Biblioteca Pública ter o estatuto de Centro Regional de Informações, os materiais presentes nas suas colecções deverão “reflectir as tendências actuais e o progresso social” e “registar a história da actividade e da criatividade humanas”. Nesse sentido, as Bibliotecas Públicas trabalham com o objectivo de compilar as seguintes categorias de materiais a integrarem as suas colecções especiais:

3.10.1 Documentação de Macau

- De acordo com o Regime do Depósito Legal (Decreto-Lei n.º 72/89/M, na redacção dada pelo Regulamento Administrativo n.º 10/2008) e com vista à boa execução das normas respectivas, proceder ao armazenamento de livros, publicações periódicas, entre outros materiais documentais publicados ou de autores de Macau, de criadores de unidades ou departamentos governamentais;
- Colocar um especial interesse na colecção de manuscritos, diários, correspondência e demais dados biográficos relativos a artistas consagrados ou individualidades de renome;
- Cabem no âmbito das colecções as publicações não locais mas envolventes a Macau.

3.10.2 Materiais em português

- Tomando como princípio a valorização da história e da cultura, proceder ao armazenamento de materiais publicados em língua portuguesa.

3.10.3 Livros antigos

- Dar prioridade ao armazenamento de livros antigos, crónicas locais, óperas tradicionais, dados genealógicos entre outra documentação anterior ao primeiro período do séc. XX;
- Dar maior ênfase ao armazenamento de livros históricos antigos e versões originais das notas e comentários de artistas consagrados ou individualidades de renome.

3.10.4 Jornais locais antigos

- De acordo com a análise da situação actual, o objecto prioritário do armazenamento de jornais considerados de valor relevante, serão aqueles jornais publicados localmente, anteriores ao ano de 1985;
- Serão armazenados, em especial, os jornais locais antigos, publicados entre 1820 e 1980.

3.10.5 Cartazes

- De acordo com o disposto no Regime do Depósito Legal, deverão ser armazenados todos os tipos de cartazes concebidos por particulares, unidades ou departamentos governamentais locais, com especial ênfase em relação àqueles que reflictam o avanço da sociedade local, os seus modos de vida e providos de estilo artístico.

 

3.11 Publicações de organizações internacionais

O principal propósito da Biblioteca, relativamente ao armazenamento de publicações de organizações internacionais, é o de agir em concertação com o desenvolvimento social e económico no sentido de fornecer ao governo e aos cidadãos os recursos relativos a matérias internacionais cujo âmbito compreende as publicações periódicas, anuários, relatórios anuais, dados estatísticos, bem como outros textos relevantes das seguintes organizações: União Europeia (UE), Organização das Nações Unidas para a Educação a Ciência e a Cultura (UNESCO), Organização Mundial de Saúde (OMS), Organização Mundial do Comércio (OMC), Organização Internacional do Trabalho (OMT), Cooperação Económica Ásia-Pacífico (APEC), Fundo Monetário Internacional (FMI), Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV), Visão Mundial (World Vision), Federação Internacional de Bibliotecários e Bibliotecas (FIBB), Federação Internacional de Informação e Documentação (FID) e a Associação Americana de Bibliotecas (ALA).

 

3.12 Controlo de cópias

Os funcionários da Biblioteca no exercício das suas funções de pesquisa, deverão fiscalizar a ocorrência de duplicação das obras presentes nas colecções, devendo também proceder de forma a realizar um controlo eficaz das cópias de livros da Biblioteca. Em virtude das limitações de espaço disponível da Biblioteca, deverão as bibliotecas dependentes, deste modo e tanto quanto for possível, limitar a tiragem de cópias, sendo que, no caso das bibliotecas com elevada circulação de leitores, deverá haver um aumento na disponibilização de cópias, atendendo aos seguintes princípios:
- A Biblioteca Central de Macau, a Biblioteca Sir Robert Ho Tung, a Biblioteca da Taipa e a Biblioteca de Seac Pai Van (em fase de projecto) deverão, em conformidade com o grau de necessidade da Biblioteca e a frequência de utilização por parte dos leitores, aumentar a disponibilização de cópias até a um máximo de 5 unidades;
- As restantes bibliotecas poderão aumentar a disponibilização de cópias até a um máximo de 3 unidades;
- A Biblioteca Itinerante não disponibilizará cópias.

 

4. Aquisição da colecção

Os materiais de uma colecção são principalmente adquiridos através da compra, troca e entrega de ofertas e conforme o regime do depósito legal, no entanto, o método de compra é o principal meio utilizado.

 

4.1 Compra

A aquisição de livros deve respeitar o regime de aquisição pública do Governo da RAEM e outros regulamentos aplicáveis no que diz respeito à aquisição pública.

 

4.2 Depósito Legal

De acordo com a alínea 6) do número 1 do artigo 11.º do Regulamento Administrativo n.º 20/2015 (relativo à “Organização e Funcionamento do Instituto Cultural”), compete ao Departamento de Gestão de Bibliotecas Públicas “executar o regime do depósito legal”. O “regime de depósito legal” é o principal meio utilizado pela Biblioteca pública em Macau para recolher as publicações locais. O regime tem como objecto as seguintes publicações:
- São objecto de depósito legal as obras publicadas na Região Administrativa Especial de Macau, seja qual for a forma, o tipo de publicação ou o sistema de reprodução, destinadas à comercialização ou à distribuição gratuita;
- É, nomeadamente, obrigatório o depósito de livros, publicações periódicas, mapas, programas de espectáculos, catálogos de exposições, postais, produtos filatélicos, cartazes, materiais multimédia e microformas, que se apresentem em forma de papel ou suporte electrónico;
- Não são abrangidos pela obrigatoriedade do depósito previsto no número anterior os cartões de visita, cartas, sobrescritos timbrados, facturas comerciais, títulos de valores financeiros, etiquetas, rótulos, calendários, álbuns para colorir, cupões, modelos de impressos comerciais e outros similares.

 

4.3 Troca

O Programa Internacional de Troca de Publicações é uma ferramenta de intercâmbio cultural entre as bibliotecas de Macau e fora de Macau, de forma a promover os projectos culturais da RAEM no exterior.

- A gestão dos assuntos da troca internacional de publicação é feita pelos departamentos especiais da colecção.
- De acordo com as unidades enviadas pelas entidades cooperantes na troca internacional são seleccionados os livros mais adequados à colecção.
- Os materiais da troca internacional incluem os seguintes tipos: livros, periódicos, materiais audiovisuais.
- Não estão incluídos no Programa Internacional de Troca de Publicações: boletins, listas de endereços, brochuras, panfletos, cartazes e postais.

 

4.4 Ofertas

As ofertas recebidas devem respeitar as políticas de desenvolvimento das colecções, e caso não estejam de acordo com os princípios determinados, não podem ser aceites (excepto materiais de Macau e livros raros):
- Conteúdo desactualizado, sem valor académico ou valor de referência, por exemplo: livros antigos (publicados há mais de 10 anos), guias escolares, manuais escolares e materiais de apoio a exames escolares, etc.;
- Livros científicos publicados há mais de cinco anos;
- Livros de informática publicados há mais de três anos;
- Guias de viagem publicados há mais de dois anos;
- Livros pirata ou que violam as Leis de Direitos de Autor;
- Livros de propaganda religiosa;
- Livros cujo conteúdo é indecente ou violento;
- Livros com mofo, manchas ou com danos;
- Conjuntos incompletos;
- Livros com falta de páginas, fácil de cair ou em que a encadernação não está fixa;
- Livros com anotações, riscos e outras marcas;
-Outros livros que não estão de acordo com as políticas de desenvolvimento das colecções.

 

4.5 Produção digital

Para além dos métodos acima descritos de obtenção de livros para a colecção como é o caso da compra, depósito legal, troca e ofertas, ainda é possível através da exploração de tecnologia digital, desenvolver as nossas próprias colecções digitais específicas. Por exemplo, a colecção de textos antigos chineses e ocidentais, bem como de cartazes e jornais locais. Assim, através deste método de produção digital pode-se criar uma base de dados de recursos online, disponível para o público e especialmente para estudantes e investigadores.

 

5. Manutenção das colecções

 

5.1 Inventário das colecções

O trabalho diário de manutenção da colecção cobre os seguintes aspectos: a organização, distribuição, estantes, suportes de livros, eliminação, reparação, mudança de estantes, reposição de versões velhas por novas, manutenção ordeira das estantes e etiquetagem. Para além destes trabalhos, também é necessário fazer o inventário periódico da colecção, pois através desse trabalho o sistema de registo e situação actual da colecção sejam uniformes e a partir daí possa ser melhorado o registo de catálogo da colecção, bem como a qualidade de serviço da biblioteca, para que os leitores possam usufruir dos materiais da biblioteca.

Cada biblioteca deve fazer no mínimo um inventário por ano e de acordo com a situação real de cada uma calendarizar os trabalhos de inventário.

 

5.2 Avaliação das colecções

O trabalho de avaliação é uma parte importante do processo de desenvolvimento e construção da colecção duma biblioteca e, por isso, através da avaliação da colecção podem compreender-se as vantagens e desvantagens, aplicabilidade e valor da colecção. Para além disso, pode ser usado como base para a gestão futura e revisão das políticas de desenvolvimento da colecção.

A avaliação pode ser executada segundo os seguintes métodos:

5.2.1 Avaliação de qualidade

A contabilização e análise periódica do conteúdo da colecção, através do sistema de catalogação permite a classificação estatística, a consulta de acordo com os princípios do nível de profundidade académica, a realização de diversas avaliações sobre a força da colecção, para serem feitos ajustamentos na proporção, distribuição de fundos e eliminação de livros.

Relativamente aos trabalhos de avaliação da qualidade de livros antigos e materiais especiais, se as condições o permitirem, pode-se convidar especialistas e académicos de diferentes áreas para avaliar a colecção e apresentar sugestões.

5.2.2 Avaliação da quantidade

A recolha de informação estatística da colecção através do sistema de catalogação inclui o número total de volumes da colecção e taxa anual de crescimento, bem como a quantidade de livros de outras bibliotecas, incluindo os livros de assuntos gerais, livros infantis, periódicos, materiais audiovisuais, textos antigos. A análise à estrutura da colecção e necessidades dos leitores serve de base à revisão contínua das políticas de desenvolvimento da colecção.

5.2.3 Análise ao nível de utilização dos leitores:

- Análise à circulação: fazer a estatística de utilização dos recursos electrónicos e livros emprestados e a análise cruzada da identidade e classificação do conteúdo do material dos leitores que serve para compreender as necessidades de utilização e taxa de circulação de todos os recursos;
- Pesquisa às opiniões dos leitores: compreender as necessidades dos leitores e nível de satisfação em relação à colecção;
- Pesquisa interna da biblioteca: no período de pesquisa pede-se aos leitores para deixarem o material na mesa de leitura para que o bibliotecário possa fazer o registo central da categoria e tipologia.

 

5.3 Eliminação e transferência para conservação

A eliminação é uma ferramenta de trabalho para determinar se uma colecção tem ou não valor de referência, de utilidade e de colecção. A sua definição compreensiva diz respeito a colecções de uso raro, de uso insustentável ou que não mais poderão ser usadas, sem valor de colecção ou de referência que são dadas para cancelamento ou transferidas para um armazém para conservação.

O objectivo principal da eliminação da colecção é manter o nível de qualidade dos materiais e livros da colecção, promovendo a transformação (substituição do velho pelo novo) da colecção, utilizando o espaço da colecção para manter a qualidade. Assim, aumenta-se a taxa de utilização dos materiais e livros e poupa-se nos custos manutenção e gestão da colecção.

5.3.1 Princípios da eliminação da colecção

Livros de assuntos gerais, livros de referência e materiais audiovisuais
- A taxa de eliminação anual não pode ser superior a 3% da quantidade total da colecção, excepto os de valores verificados através de análise;
- Conteúdo informativo desactualizado que já não contém valor de consulta ou de pesquisa;
- Conteúdo informativo desactualizado com nova versão, mas no qual o material de referência antigo se mantém;
- Incompleto, gasto, desactualizado com nova versão;
- Incompleto, gasto, mas que ainda está disponível para aquisição ou tem uma cópia do suplemento;
- O preço do arranjo é mais elevado do que o preço de venda do livro no mercado;
- Livros que foram inventariados, mas depois de um ano continuam sem ser encontrados;
- Imagens, sons distorcidos ou danificados não devem ser utilizados;
- Material audiovisual incompatível com os equipamentos existentes, mas que ainda tem valor de preservação e investigação deve ser reservado;
- Material que pode ser substituído por material de média mais recente;
- Violações da lei de direitos de propriedade.

5.3.1.1 Periódicos

- Os periódicos publicados pela RAEM devem ser tratados de acordo com as normas previstas no regime de depósito legal;
- Os periódicos publicados no exterior devem ser guardados durante um ano para depois serem vendidos para caridade ou sorteados. Se estiverem danificados e não estiverem completos, sem poderem ser remendados, devem ser eliminados.

5.3.2 Colecção transferida para o depósito para preservação

Livros cuja taxa de utilização é baixa, mas que têm valor de colecção, podem ser guardados no depósito, incluindo:
- Livros e impressões anteriores a 1950. Para livros e impressões anteriores a 1970 deve ter-se em consideração o conteúdo, perfil do autor e valor de referência;
- Livros cuja taxa de utilização é baixa mas têm valor de utilização;
- Cópias de livros usadas como reservas;
- Livros de autores importantes que já não são impressos;
- Obras importantes ou clássicos que já não são impressos;
- Livros pouco usados doados por pessoas importantes;
- Livros autografados;
- Outros livros com valor especial.

Materiais preciosos da colecção devem ser guardados em salas específicas para preservação a longo prazo, incluindo:
- Microfilmes;
- Colecções especiais (como livros antigos, jornais antigos, documentação de Macau, materiais portugueses específicos, etc.).

Princípios de retenção de jornais chineses e estrangeiros:
- A Biblioteca Central de Macau, a Biblioteca Sir Robert Ho Tung, a Biblioteca da Taipa, a Biblioteca de Seac Pai Van (em fase de projecto): têm o princípio de um ano de retenção;
- As restantes bibliotecas têm um mês, no entanto de acordo com a taxa de utilização real do espaço têm mais flexibilidade no tratamento;
- Deve ser guardado no mínimo um exemplar dos jornais locais de Macau.

 

6. Tratamento de livros e periódicos com temas polémicos

Os princípios de tratamento de livros e periódicos com temas polémicos são:
- Evitar livros e periódicos com conteúdos obscenos, violentos, raciais, sexistas e que defendem a criminalidade;
- Através dos artigos informativos de publicações, informação dos media, exame de objectos concretos e das resoluções de conferências sobre o desenvolvimento da colecção no sentido de decidir se o conteúdo de livros e publicações é ou não adequado para os leitores jovens e infantis, é necessário limitar a leitura e controlar a utilização para que os livros e publicações sejam adequados aos padrões de cada idade. Essa referência deve ser feita no catálogo numérico;
- As bibliotecas devem ter um mecanismo de queixas e respostas, fornecendo métodos de apresentação de queixas, o arquivamento dos registos das queixas e do conteúdo da resposta;
- No tratamento de opiniões divergentes, a biblioteca deve mostrar uma atitude profissional, reexaminando o conteúdo dos livros e publicações, recolhendo material crítico relacionado com essas obras, procurando junto de organizações profissionais de assistência para que depois possa voltar a estipular um método de tratamento.

 

7. Tratamento de opiniões sobre as colecções

As necessidades dos leitores e o desenvolvimento das colecções estão intrinsecamente relacionados. A biblioteca deve recolher as opiniões e recomendações dos leitores, valorizando e respeitando as mesmas, bem como, deve analisar e clarificar essas opiniões para poder ajudar a colmatar a falha dos bibliotecários na escolha dos livros e também a compreender a existência de problemas no serviço. Assim, dá-se à biblioteca um modelo para melhorar o serviço.

Para expressar as suas opiniões sobre a colecção da biblioteca, os leitores podem usar os seguintes métodos:
- Função para recomendações disponível na página electrónica da biblioteca;
- Envio de email para a caixa especial de recomendações da biblioteca. As opiniões expressas não são abertas ao público;
- Entrega de opiniões por escrito. Estas podem ser colocadas na caixa de opiniões instalada nas bibliotecas, entregues no balcão de serviço ao leitor ou enviadas por correio para o pessoal dirigente da biblioteca.

As opiniões e recomendações dos leitores são tratadas principalmente pelos membros do grupo de desenvolvimento da colecção, responsáveis por responder aos leitores. Quando existe um conflito entre as opiniões dos leitores e as políticas da colecção, deve ser explicado, de forma clara, o motivo para tal.

 

8. Ferramentas de selecção de livros de referência

As qualificações essenciais para o trabalho de selecção de livros são, possuir conhecimentos básicos de livros e dos média para compreender o nível e mercado de publicação de livros; dominar os modos de operação relacionados com a edição, publicação e venda de livros; conhecer de forma ampla as responsabilidades e funções da biblioteca, preocupando-se com o desenvolvimento da sociedade e as necessidades dos leitores.

Os bibliotecários devem apoiar-se em diferentes ferramentas de referência que os possam auxiliar na selecção de livros, para assim poder conhecer todos os tipos de livros e publicações periódicas e determinar as suas características, de acordo com as necessidades dos leitores e do desenvolvimento da sociedade.

As ferramentas de referência para escolha de livros são:
- Críticas e apresentações de livros em jornais e revistas;
- Lista dos livros mais vendidos;
- Guias de bons livros;
- Recomendações dos leitores;
- Visitas a livrarias e feiras do livro;
- Directório de publicação do Governo;
- Críticas de livros, bibliografias e informações sobre livros publicadas no Interior da China, Taiwan, Hong Kong e estrangeiro;
- Livrarias online e páginas electrónicas de editoras;
- Informação, bibliografia e comentários de livros premiados;
- Apresentação de livros e publicações de outras bibliotecas (inclusive online) ou materiais de entrada de novos livros na colecção;
- Material informativo publicado pelos média (por exemplo: conferências de imprensa de novos livros, feiras do livro, notícias de escritores, etc.);
- Para a aquisição de material audiovisual é necessário consultar principalmente os comentários a filmes e discos em jornais e revistas, festivais com entrega de prémios cinematográficos de grande dimensão a nível internacional e regional e a respectiva lista de participantes, os catálogos de produtos lançados pelos agentes e a respectiva informação disponível online, os guias de compra de materiais audiovisuais e publicidade.

 

9. Avaliação e revisão das políticas

As políticas de desenvolvimento das colecções são implementadas depois de ser definidas pelo grupo de desenvolvimento das colecções das bibliotecas públicas de Macau, devendo as mesmas ser avaliadas atempadamente e revistas de acordo com a situação real.