Biografias Juvenis

Às vezes as biografias juvenis são recebidas entusiasticamente e até se tornam obras populares. Desde o Diário de Anne Frank que foi escrito pela menina judia holandesa Anne Frank e que conta a história de como ela evitou as garras dos alemães, até às Memories of Peking: South Side Stories da autora taiwanesa Li Hai Yin onde esta relata as suas memórias de infância em Beijing, as biografias juvenis continuam a estar na moda, estas em particular, apesar de terem sido publicadas há mais de cinquenta anos, tendo ganho o estatuto de material didático em muitas escolas.         

O mundo é único através dos trabalhos dos adolescentes, pois eles são simples, directos e sinceros; mesmo no tumulto da guerra as suas biografias revelam esperança e desejo. Esta edição de Livros e a Cidade visita várias biografias juvenis, algumas escritas na juventude e outras quando os autores adultos reflectem sobre a sua infância. Estas obras não só reflectem todos os aspectos das suas vidas pessoais, como também o contexto e a natureza das sociedades onde se inserem.  

我是馬拉拉(青少年版)

▸ 我是馬拉拉(青少年版)

Autor:馬拉拉.優薩福扎伊、 派翠西亞.麥考密克

Tradutor:朱浩一

Editora:愛米拉

Data de Publicação:2014

I am Malala

▸ I am Malala

Autor:Malala Yousafzai with Chritisna Lamb

Tradutor:Little, Brown and Company

Editora:

Data de Publicação:2013

O Poder do Amor Paterno

O mais jovem vencedor do Prémio Nobel da Paz, Malala Yousafzai, nunca foi teimosa mesmo na sua juventude. A biografia descreve como ela, a filha mais velha da sua família, estudou de forma perseverante no Paquistão. Ela criou um blog para registar o pânico dos seus colegas durante a ocupação talibã e divulgou à imprensa estrangeira a opressão na sociedade. O final desta autobiografia apresenta uma nova etapa na sua vida: ela foi baleada pelos talibã antes de ser enviada para um hospital no Reino Unido para tratamento e reencontro com a sua família.  

O papel mais proeminente nesta autobiografia é assumido pelo pai de Malala, pois durante anos ele insistiu mesmo sob ameaça dos talibã em dar apoio publicamente à educação de raparigas. Inicialmente foi autorizado a acompanhar Malala durante o seu tratamento, mas estava condicionado a permanecer na sua terra natal para cuidar da sua família. Foi apenas com a contribuição altruísta do seu pai que Malala conseguiu alcançar os seus feitos mundialmente reconhecidos. Aliás, a descrição da relação entre pai e filha é a parte mais comovente do livro.        

No ano passado, no 18º aniversário de Malala, ela abriu em nome da sua fundação uma escola para raparigas perto da fronteira libanesa, proporcionando aos refugiados sírios a oportunidade de uma educação. Ao ler a sua autobiografia, os leitores podem compreender o desenvolvimento da sua generosidade. Este livro também conta com uma versão para adolescentes que analisa o passado de Malala em linguagem mais simples e através de um enredo mais concentrado. 

Banda Desenhada Autobiográfica

A ilustradora iraniana Marjane Satrapi publicou a sua animação autobiográfica Persepolis em França, onde retrata a história da Revolução Islâmica e a Guerra Irão – Iraque com a história do seu crescimento. Ela estudou numa escola de língua francesa em Teerão, a capital do Irão, onde se iniciou no pensamento crítico. Ela testemunhou o declínio do poder nacional do Irão e foi mandada estudar na Áustria pelos seus pais. Apesar de ter regressado para o Irão e ter lá permanecido durante uma década; devido às suas saudades de casa, ela acabou por se mudar para França, onde estudou a arte da ilustração.   

O livro retrata abertamente o passado imprudente da ilustradora: ela foi doutrinada pela escola no sentido de idolatrar um ditador até que foi reabilitada pelos seus pais através de valores correctos e civilizados. Procurando o reconhecimento dos seus pares, ela desperdiçou dinheiro no Irão em busca da cultura pop ocidental. Ela seguiu maus caminhos enquanto estudava na Áustria e começou a consumir drogas com gangues em discotecas. Através deste relato fiel, os leitores podem compreender as lutas e a formação da mentalidade de uma menina rebelde que cresceu numa ditadura. 

Publicado em quatro volumes com imagens simples a preto e branco, o livro representa um comovente romance de formação que retrata a história do Irão num passado recente. O livro alcançou grande sucesso quando foi publicado em França e venceu o “Prémio de Melhor Banda Desenhada” na Feira do Livro de Frankfurt de 2004 e já foi traduzido em mais de dez línguas.

 

我在伊朗長大

▸ 我在伊朗長大

Autor:瑪贊.莎塔碧

Tradutor:馬愛農、左濤

Editora:三聯書店(香港)

Data de Publicação:2005

Persepolis

▸ Persepolis

Autor:Marjane Satrapi

Editora:Pantheon

Data de Publicação:2003

A Memória da Revolução Cultural

Jiang Ji-li, que emigrou para os E.U.A., relata a sua memória da Revolução Cultural em inglês. Ela tinha apenas 12 anos quando o seu mundo foi de repente virado de pernas para o ar. O seu avô era de uma família abastada, fazendo com que o seu pai fosse denunciado publicamente e a sua avó forçada a limpar as ruas. Os guardas vermelhos invadiam constantemente a sua casa e partiam tudo. Ela não só foi marginalizada pelos seus colegas como também ameaçada com o corte de relações com o seu pai, para além de ter testemunhado um vizinho a ser espancado até à morte.   

Este livro de memórias retrata a impetuosidade da autora durante a sua adolescência. Devido à suas origens familiares, ela não era elegível para se inscrever na Academia de Arte do Exército de Libertação Central, fazendo com que ela ficasse furiosa com o seu pai e eventualmente também com a sua mãe pelo facto de ser marginalizada pelos seus colegas devido às origens dos seus pais. Apesar de fingir que não se preocupava com os seus colegas, no fundo do seu coração ela queria derrubar os ‘quatro velhos’ (Velhos Costumes, Velha Cultura, Velhos Hábitos e Velhas Ideias) que era no que consistia a ideologia dos Guardas Vermelhos. Ela também invejava aqueles que tinham oportunidade de vislumbrar Mao Zedong, Presidente da República Popular da China.       

No posfácio, a autora recorda as memórias da liberdade de que apenas desfrutou depois de se mudar para os E.U.A. Numa retrospectiva da sua infância correspondendo a um período em que os valores da humanidade foram distorcidos, ela não mostra ressentimento pelos líderes da Revolução Cultural, em vez disso, afirma ainda mais o seu patriotismo e está determinada a promover o intercâmbio cultural sino-americano para que os estrangeiros possam conhecer a verdadeira China.

 

Red Scarf Girl: A memoir of the cultural revolution

▸ Red Scarf Girl: A memoir of the cultural revolution

Autor:Ji-Li Jang

Editora:Harper Collins

Data de Publicação:2004

Intercâmbios Taiwan-Japão

A actriz de teatro japonesa Tae Hitoto tem uma relação subtil com Taiwan, uma vez que o seu pai é originário de uma conhecida e proeminente família de Taiwan, enquanto a sua mãe era apenas uma simples menina do Japão. Box My Child é um livro de memórias da sua infância quando ela viajava entre Taiwan e o Japão. Em casa ela falava japonês mas recitava a tabauda em mandarim na escola. Os seus colegas japoneses levavam delicadas bolas de arroz para a escola mas a sua mãe preparava-lhe uma simples lancheira do estilo chinês. Ela muitas vezes recebia encomendas do estrangeiro.  

É insuportável para a autora recordar a sua infância, pois os pais deixaram de se falar para evitar  discussões. Como era pequena, ela tornou-se na mensageira da família e nunca entendeu a razão das discussões até à morte dos seus pais. Ela encontrou uma caixa em casa, com uma carta lá dentro e conseguiu entender a sua infância através dessa carta.Muitas vezes os adultos acham que as crianças não são capazes de entender questões domésticas. No entanto, a hostilidade entre pais pode deixar um trauma indelével numa criança. 

A preciosidade deste livro encontra-se não apenas nas memórias de infância da autora mas também na reprodução do estreito relacionamento entre Taiwan e o Japão desde há cinquenta anos atrás. Até a autora teve que ler muitas cartas familiares para compreender como as pessoas dos dois locais estavam dispostas a oferecer assistência oportuna no meio de desastres naturais.



// Tae Hitoto used to travel between Japan and Taiwan during her secondary (upper) and primary (lower) school years. (photo provided by Tae Hitoto).


// Born in Taipei, Tae Hitoto is currently a theatre actress and writer in Japan (photo provided by Tae Hitoto).

我的箱子

▸ 我的箱子

Autor:一青妙

Tradutor:辛如意

Editora:聯經

Data de Publicação:2013

Infância em Hong Kong

Nascido em Macau e crescido em Hong Kong, Ho Zi é um autor de literatura infantil. Ele escreveu sobre as suas memórias de infância numa coluna de jornal, que foram posteriormente compiladas em livro. A primeira peça é de uma memória aos 3 anos: ele fugiu de Macau para Hong Kong com os seus pais para fugir da guerra, mas Hong Kong foi invadida na véspera de Natal. Como o seu pai foi morto por soldados japoneses ele viveu com a sua mãe desde pequeno, o que lhe permitiu testemunhar o sofrimento do povo.   

Este livro reflecte plenamente a natureza optimista deste jovem. No meio da queda de Hong Kong, ele aprendeu linguagem vulgar em japonês; a escola fechou devido à guerra e o campus escolar tornou-se no paraíso de caça ao tesouro dos estudantes. No livro, até as medidas de restrição de água são descritas de forma animada e interessante. Ele agiu irresponsavelmente em nome da luta pela justiça, o que levou à sua detenção pela polícia. Ele e os seus colegas causaram problemas num eléctrico, mas criaram amizade com um velho jardineiro.

Como um livro de velhas histórias de Hong Kong, este livro reconta uma multidão em apuros numa antiga estação de comboios. Lockhart Road já era um paraíso da vida nocturna, enquanto ‘Bing Tau Fa Yuen’ – agora conhecido como Hong Kong Zoological and Botanical Gardens – era um local popular entre as crianças de rua. Este livro também nos fala de pessoas oriundas de todo o mundo que se juntaram em Hong Kong. Numa época sem internet , apesar de todos serem apenas transeuntes, eles/elas permaneceram na sua mente para sempre.

童年的我.少年的我

▸ 童年的我.少年的我

Autor:何紫

Editora:山邊

Data de Publicação:2006